TECLADOS – A ordem das teclas

Postado por e arquivado em .

TECLADOS  A primeira tentativa para fabricação de uma máquina de escrever foi feita em 1714 pelo inglês Henry Mill, mas o projeto tinha defeitos e por isso foi abandonado.

Em 1868, o impressor americano Christopher Latham Sholes (1819-1890) criou um outro modelo com as teclas em ordem alfabética, porém sua tecnologia de montagem era rudimentar e por isso toda vez que o datilógrafo acelerava o trabalho de escrita os tipos da máquina acavalavam uns nos outros e a tarefa era suspensa. 

Diante do problema a solução foi alterar a posição dos sinais, para forçar uma redução na velocidade de escrita. Assim foi criado o sistema QWERTY, que corresponde às seis primeiras teclas da fileira superior. Nela foi incluída a letra “I”, muito usada na língua inglesa, enquanto a letra “A”, também muito comum, foi colocada na segunda fileira, mas bem à esquerda, para ser alcançada pelo dedo mais lerdo de todos, que é o mínimo da mão esquerda.

A ordenação primitiva pode ser facilmente percebida na segunda fileira do teclado, onde as letras “D” a “L” aparecem em seqüência natural. 

Em 1932 o americano August Dvorak bolou um teclado com o qual se podia escrever na mesma fração de tempo, e usando apenas as letras da fileira principal, um número maior de palavras do que o conseguido com o emprego do outro modelo. Aí, diante da incerteza sobre qual dos dois seria o melhor, decidiram colocá-los em confronto, mas na hora da prova aconteceu o imprevisto: o datilógrafo QWERTY tinha memorizado a posição das teclas, enquanto o rival DVORAK trabalhava na base da catação de milho, ou seja, uma batida de tecla aqui, outra ali, e assim por diante.

 Resultado: com a vitória conquistada, o teclado QWERTY transformou-se em padrão industrial que permanece sendo usado até os dias de hoje.