GERGELIM

Postado por e arquivado em , .

GERGELIM 1Essa planta herbácea pertence á família das pedaliáceas, cujo arbusto pode atingir quase um metro de altura. Ela tem frutos que contêm sementes de múltiplos usos na culinária e em rituais religiosos desde a Antiguidade, principalmente na Ásia e no Oriente Médio. Acredita-se que durante o período de colonização do Brasil, os portugueses trouxeram as primeiras mudas dessa planta da África para cá.

As sementes de gergelim são consideradas um dos alimentos mais nutritivos do planeta, pois são ricos em proteínas, gorduras e carboidratos. Além disso, possuem alto teor de cálcio, fósforo e ferro (alguns especialistas calculam que, proporcionalmente, essas sementes contenham até 100 vezes mais ferro do que o leite da vaca). Como se não bastasse,  elas são  também ricas  em vitaminas  do complexo B, em especial a niacina.

Inúmeras receitas de pães, biscoitos, balas e doces utilizam as sementes de gergelim por causa de seu sabor característico. A partir da prensagem das sementes, obtém-se um creme chamado de tahine, largamente utilizado na culinária do Oriente Médio. Um processo semelhante é responsável pela produção do óleo de gergelim, que segundo alguns naturopatas, pode ser útil no combate ao reumatismo.

GERGELIM 2Os naturopatas são profissionais que defendem o princípio de que os sintomas das doenças são causados pelo esforço do próprio corpo no sentido de se autocurar, e que os medicamentos devem ser escolhidos em função do individuo e não apenas da doença. Na naturoterapia, a prevenção é tão importante como a cura, por isso a ação do naturopata fundamenta-se na busca das causas e nas origens psicossomáticas da doença, nunca nos seus efeitos.

Quando se torra e prensa levemente as sementes, junto com sal, produz-se o gersal, um complemento alimentar muito comum entre os adeptos do vegetarianismo e da macrobiótica devido ao seu alto valor protéico. Esses mesmos indivíduos costumam misturar o tahine com o miso (uma pasta de soja) e passá-lo no pão integral como substituto da manteiga.

O óleo de gergelim, que é extraído das sementes na proporção de 45 a 50%, constitui um importante produto industrial. Excelente para a arte culinária e mesmo para a mesa, como tempero de saladas, substituindo o azeite de oliveira, ele também é usado em conservas de sardinhas. Atribuem-se a ele diversas propriedades terapêuticas, sendo especialmente aconselhado contra as oftalmias.

GERGELIM 3Antigamente era muito apreciada no Brasil a gergilada, doce que caiu em desuso. Os povos asiáticos consomem, em sua alimentação normal, grandes quantidades dessa semente, que está associada a algumas cerimônias religiosas.

São conhecidos em  quase todo o mundo diversos doces do Oriente Médio preparados com elas. Alguns lhes atribuem propriedades afrodisíacas, enquanto outros afirmam que são emenagogas (facilitam ou aumentam o fluxo menstrual) e mesmo abortivas.

As sementes de gergelim são ricas em manganês, cobre e cálcio (90 miligramas de cálcio por colher de sopa para sementes integrais não descascadas), e 10 miligramas para sementes descascadas, contendo, ainda, vitamina B1 e vitamina E. Além disso, contém um poderoso antioxidante (lignans, em inglês), que é anticancerígeno, e também fitoesteróis, compostos naturalmente presentes em óleos vegetais, nozes, feijão, legumes e verduras, que reduzem significativamente os níveis de colesterol total e LDL-colesterol (colesterol ruim) quando consumidos regularmente e associados a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.