Resultados encontrados: R a Z

AI SE SESSE

AI, SE SÊSSE…

Postado por e arquivado em , , .

Se um dia nois se gostasse. Se um dia nois se queresse. Se nois dois se empareasse. Se juntim nois dois vivesse.   Se juntim nois dois morasse. Se juntim nois dois drumisse. Se juntim nois dois morresse. Se pro céu nois assubisse.   Mas, porém, acontecesse De São Pedro não abrisse A porta do […]

BRASI CABOCO

BRASI CABOCO

Postado por e arquivado em , , .

O qui é Brasí Caboco? / É um Brasi diferente / do Brasí das capitá. / É um Brasi brasilêro, / sem mistura de instrangero, / um Brasi nacioná. É o Brasi qui não veste / niforme de gazimira, / camisa de peito duro / com butuadura de ouro. / Brasi caboco só veste / […]

CACIMBA

CACIMBA, A

Postado por e arquivado em , , .

Tá vendo aquela cacimba / lá na bêra do riacho, / im riba da ribanceira, / qui fica, assim, pru dibaxo / de um pé de tamarinêra. Pois, um magote de moça / quage toda manhanzinha, / foima, assim, aquela tuia, / na bêra da cacimbinha / prá tumar banho de cuia. Eu não sei […]

CARRO DE BOI 1

CARRO DE BOI

Postado por e arquivado em , , .

A música maravilhosa que canta um carro de boi, parece assim a saudade, muito triste, bem chorosa, num coração alembrando um amor que já se foi. Boi de carro, meu amigo, eu também sou teu irmão. Repara, boi de carro, nossa sorte como é em quase em tudo parecida. Como tu, eu também canso / […]

CONFISSAO DE CABOCO

CONFISSÃO DE CABÔCO

Postado por e arquivado em , , .

Seu dotô, sou criminoso. / Sou criminoso de morte. / Tou aqui pra mi intregá. / Vosmicê fique sabendo: / quando a muié traz a sorte / de atraiçoá o isposo, / só presta para se matá. Nunca pensei, seu dotô, / qui a mão nêga do distino, / merguiasse as minhas mão / no […]

IMAGE DE CAMPINAS

IMAGE DE CAMPINA

Postado por e arquivado em , , .

Campina Grande, Campina / Vou dizê sem pabulage / O qui tu tem de beleza, / O qui piçues de grandeza. / Im redó da tua image. Sois a porta de entrada / Dos sertanejo de riba, / Sois a “Cidade argudão”, / A rainha dos sertão,/ Orgúio da Paraíba Sois a cidade feitiço / […]

MATUTO E O DOUTOR, O

MATUTO E O DOUTOR, O

Postado por e arquivado em , , .

Dotô, não sou rico não / Mas vivo desapertado / Tenho uma casa de alpende / Vinte cabeça de gado / Uns quatro burro de caiga / E um cavalo manga laiga / Prumode eu andá montado. Tenho uma roça bonita / De uveia tenho rebanho / Tenho um açude cheinho / Só mecê vendo […]

NOITE DE SAO JOAO

NOITE DE SÃO JOÃO

Postado por e arquivado em , , .

Hoje é noite de São João!   A casa do coroné, A fuguêra no terrêro Tá todinha imbandêrada As lanterna nas parede! De bandêra de papé! Numa aligría, um berreiro, A sala tá tão bonita, No arpende, da casa-grande, Cumo os oío de Solange, As moça ispiando a casa, Cumo os óio de Sué! pra […]

SERTAO EM CARNE E OSSO

SERTÃO EM CARNE E OSSO

Postado por e arquivado em , , .

No romper das alvorada, Quando alegre a passarada Se desmancha em cantoria, Anunciando ao sertão A sua ressurreição No despontar de outro dia!   Nos galho das baraúna Os magote de graúna Quando o seu canto desata, Parece uns vigário véio Cantando o santo evangéio Na igreja verde da mata!   Canta nas tarde morena […]