Resultados encontrados: ARTUR AZEVEDO

AMA-SECA, A

Postado por e arquivado em , , .

O Romualdo, marido de D. Eufêmia, era um rapaz sério, lá isso era, e tão incapaz de cometer a mais leve infidelidade conjugal como de roubar o sino de São Francisco de Paula; mas – vejam como o diabo as arma! Um dia D. Eufêmia foi chamada, a toda a pressa, a Juiz de Fora, […]

ARRUFOS

Postado por e arquivado em , , .

Não há no mundo quem amantes visse, que se quisessem, como nos queremos.. Um dia, uma questiúncula tivemos, por um simples capricho, uma tolice.   – “Acabemos com isto!” – ela me disse, e eu respondi-lhe assim: – “Pois acabemos!” E fiz o que se faz em tais extremos: tomei do meu chapéu com fanfarrice; […]

BANHOS DE MAR

Postado por e arquivado em , , .

Manuel Antônio de Carvalho Santos, / Negociante dos mais acreditados, / Tinha, em sessenta e tantos / Uma casa de secos e molhados / Na Rua do Trapiche. / Toda a gente / Gente alta e gente baixa / O respeitava. Merecidamente:  A sua firma era dinheiro em caixa. / Rubicundo, roliço, / Era já […]

COMES E BEBES

Postado por e arquivado em , , .

  Algum tempo antes de entrar definitivamente, na vida prática, o bacharel Sesostris, que hoje é pai de família e magistrado, teve as suas veleidades literárias, e topava a tudo; poesia, conto, folhetim, romance e teatro. Foi o manuscrito da sua primeira e única peça que o introduziu na caixa de um teatro, e o […]

DE CIMA PARA BAIXO

Postado por e arquivado em , , .

Naquele dia o ministro chegou de mau humor ao seu gabinete, e imediatamente mandou chamar o diretor-geral da Secretaria. Este, como se movido fosse por uma pilha elétrica, estava, poucos instantes depois, em presença de Sua Excelência, que o recebeu com duas pedras na mão. – Estou furioso! – exclamou o conselheiro. – Por sua […]

ESTÁTUAS, AS

Postado por e arquivado em , , .

No dia em que na terra te sumiram, eu fui ver-te defunta sobre a eça, fechados para sempre – ó sorte avessa! – aqueles olhos que me seduziram…   À luz do sol, uma janela abriram, e o jardim avistei onde, ó condessa, uma noite perdemos a cabeça, e as estátuas de mármore sorriram…   […]

IMPRESSÕES DE TEATRO

Postado por e arquivado em , , .

Que dramalhão! Um intrigante ousado, vendo chegar da Palestina o conde, diz-lhe que a pobre da condessa esconde no seio o fruto de um amor culpado.   Naturalmente, o conde fica irado: – “O pai quem é?” – pergunta. – “Eu”, lhe responde um pajem que entra. – “Um duelo!” – “Sim!” – “Quando?” “Onde?” […]

NOTA DE CEM MIL RÉIS, A

Postado por e arquivado em , , .

  O Cavalcânti era um marido incorreto, para não empregar um adjetivo mais forte. Imaginem que os seus recursos não davam para acudir a todas as necessidades da família e, no entanto, era ele um dos amantes da Josephine Leveau, uma cocotte francesa, cujo nome era muito conhecido nas rodas alegres, e se prestava aos […]

VELHA ANEDOTA

Postado por e arquivado em , , .

Tertuliano, frívolo peralta, que foi um paspalhão desde fedelho, tipo incapaz de ouvir um bom conselho, tipo que, morto, não faria falta;   lá num dia deixou de andar à malta, e indo à casa do pai, honrado velho, a sós na sala, em frente de um espelho, à própria imagem disse em voz bem […]