Resultados encontrados: A a D

ÁGUAS DO MUNDO, AS

Postado por e arquivado em , , .

Aí está ele, o mar, o mais ininteligível das existências não humanas. E aqui está a mulher, de pé na praia, o mais ininteligível dos seres vivos. Como o ser humano fez um dia uma pergunta sobre si mesmo, tornou-se o mais ininteligível dos seres vivos. Ela e o mar. Só poderia haver um encontro […]

AMA SECA

AMA-SECA, A

Postado por e arquivado em , , .

O Romualdo, marido de D. Eufêmia, era um rapaz sério, lá isso era, e tão incapaz de cometer a mais leve infidelidade conjugal como de roubar o sino de São Francisco de Paula; mas – vejam como o diabo as arma! Um dia D. Eufêmia foi chamada, a toda a pressa, a Juiz de Fora, […]

AMANHECER EM COPACABANA

Postado por e arquivado em , , .

Amanhece, em Copacabana, e estamos todos cansados. Todos, no mesmo banco de praia. Todos, que somos eu, meus olhos, meus braços e minhas pernas, meu pensamento e minha vontade. O coração, se não está vazio, sobra lugar que não acaba mais. Ah, que coisa insuportável, a lucidez das pessoas fatigadas! Mil vezes a obscuridade dos […]

AMOR

Postado por e arquivado em , , .

Um pouco cansada, com as compras deformando o novo saco de tricô, Ana subiu no bonde. Depositou o volume no colo e o bonde começou a andar. Recostou-se então no banco procurando conforto, num suspiro de meia satisfação. Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, […]

AMOR E MEDO

Postado por e arquivado em , , .

Quando eu te fujo e me desvio cauto Da luz de fogo que te cerca, oh! bela, Contigo dizes, suspirando amores: ” Meu Deus! que gelo, que frieza aquela!”   Como te enganas! Meu amor é chama Que se alimenta no voraz segredo, E se te fujo é que te adoro louco… És bela eu […]

ANDAR, O

Postado por e arquivado em , , .

Aconteceu na Avenida Copacabana, esquina de Santa Clara. Uma jovem senhora chamou o guarda e apontou o homem, encostado a um poste: – Prenda este homem, que ele está se portando inconvenientemente. Era um homem magro, pálido, vestido em casimira velhinha. Não tinha cara de gente má. Ao contrário, seus olhos eram doces e mendigos. […]

ARRUFOS

Postado por e arquivado em , , .

Não há no mundo quem amantes visse, que se quisessem, como nos queremos.. Um dia, uma questiúncula tivemos, por um simples capricho, uma tolice.   – “Acabemos com isto!” – ela me disse, e eu respondi-lhe assim: – “Pois acabemos!” E fiz o que se faz em tais extremos: tomei do meu chapéu com fanfarrice; […]

ATENÇÃO AO SÁBADO

Postado por e arquivado em , , .

Acho que sábado é a rosa da semana; sábado de tarde a casa é feita de cortinas ao vento, e alguém despeja um balde de água no terraço; sábado ao vento é a rosa da semana; sábado de manhã, a abelha no quintal, e o vento: uma picada, o rosto inchado, sangue e mel, aguilhão […]

BANHOS DE MAR

BANHOS DE MAR

Postado por e arquivado em , , .

Manuel Antônio de Carvalho Santos, / Negociante dos mais acreditados, / Tinha, em sessenta e tantos / Uma casa de secos e molhados / Na Rua do Trapiche. / Toda a gente / Gente alta e gente baixa / O respeitava. Merecidamente:  A sua firma era dinheiro em caixa. / Rubicundo, roliço, / Era já […]