ARARA VERMELHA DE CUBA

Postado por e arquivado em , .

 

 

 

ARARA VERMELHA DE CYBAA Arara-Vermelha-de-Cuba está extinta desde fins do século 19. Como o seu nome indica,  ela vivia na ilha de Cuba, situada no mar do Caribe. Machos e fêmeas da espécie tinham comprimento médio de 50 cm, plumagem predominantemente vermelha com tons amarelos e alaranjados pelo corpo, e penas azuis nas asas e cauda.

Em princípios do século 19, essa arara ainda era uma ave comum em Cuba. Mas o aumento da ocupação humana acarretou um desmatamento generalizado em seu habitat, o que redundou na diminuição acentuada de tais aves. Além disso, elas passaram a ser caçadas para completar a alimentação dos novos habitantes, apesar da sua carne não ser de boa qualidade.

Ao mesmo tempo, seus ninhos também começaram a ser pilhados pelos homens, seja para o consumo dos ovos nas refeições dos mesmos, seja para a captura de exemplares jovens destinados a se transformarem em animais de estimação. Em meados do século 19, elas só sobreviviam em áreas remotas, até que, segundo se supõe, o último espécime foi capturado em 1864, embora alguns relatos sustentem que até 1985 ainda existiam alguns poucos espécimes até 1885

ARARA VERMELHA DE CUBA 2As causas dessa extinção são atribuídas, portanto, a degradação e modificações de seu habitat natural provocada pelo desmatamento descontrolado do ambiente. E também à caça excessiva e incessante que lhe foi movida pelos homens, da mesma forma como aconteceu com tantas outras espécies de animais em diferentes partes da Terra.

.A história registra que no final do século 15 os europeus ricos mostraram-se fascinados por aves trazidas de terras situadas ao sul do equador, descobertas naquela época. A arara-vermelha-de-Cuba foi uma delas. 

Tal entusiasmo começou em 1493, quando o navegador Cristóvão Colombo levou um par dessas araras para a rainha Isabela da Espanha, que financiava suas viagens. Elas foram mostradas ao povo no desfile triunfal feito pelas ruas de Barcelona como parte das festas que comemoravam o retorno seguro da expedição exploratória, e provocaram muitos comentários admirados dos expectadores que viam pela primeira aves como aquelas..

Exploradores europeus encontraram um número de diferentes araras – os maiores e mais espetaculares Membros da família do papagaio – em várias ilhas do Caribe. Estas aves majestosas já estavam em declínio por este estágio, sendo caçado pelos índios caribes, que eram os habitantes nativos da região.

ARARA VERMELHA DE CUBA 3A partir daí, papagaio e a arara tornaram-se moda entre as famílias européias de melhor condição financeira. Possuir uma dessas aves trazidas do novo mundo rapidamente se tornou um símbolo de status significativo, já que elas podiam ser adquiridas apenas pelos endinheirados e bem situados na vida. Iniciou-se a ligação entre marinheiros e papagaios que perdurou por séculos na mente do público, o que foi reforçada por  livros populares como ‘A ilha do Tesouro’, publicado em 1882, e escrito por Robert Louis.Stevenson, um novelista, poeta e escritor de roteiros de viagem.

A arara-vermelha-de-Cuba conseguiu sobreviver até 1864, quando o último exemplar selvagem da espécie foi abatido por um tiro disparado em La Veja, em Ciénaga de Zapata, um ecossistema pantanoso com 300 mil hectares, aproximadamente, localizado na península homônima e pertencente à província de Matanzas. Mas, segundo consta,  pelo menos uma destas aves chegou à Europa por volta dessa nesna época, sendo exibida no Jardin des Plantes, em Paris.