CAVALO DE FORÇA – O QUE SIGNIFICA?

Postado por e arquivado em .

CAVALO DE FORCA 1O carvão é de origem orgânica, tendo se formado dos detritos vegetais das florestas e dos pântanos primitivos cujo processo de decomposição se estendeu por vários períodos geológicos. As grandes jazidas de carvão ou provém de uma vegetação rica cuja formação se deu em clima uniforme, ou então devem sua origem a enormes massas de detritos vegetais existentes em terrenos de níveis elevados, depositadas em deltas, lagos ou mares.

Datam da Idade da Pedra as primeiras minas escavadas na terra para obtenção de minérios, quando então pequenas instalações rudimentares a céu aberto ou em poços de pequena profundidade, proporcionaram ao homem o material (sílex) de que ele precisava para realizar seus trabalhos.

A extração dos combustíveis minerais teve início na Idade Média, e desde então a técnica de mineração veio sendo aperfeiçoada aos poucos, como forma de permitir um trabalho seguro e rentável.  Etapas como a pesquisa do local em que se deve proceder a abertura dos poços ou galerias, a perfuração do solo por meio de sondas, para arrecadação  de amostras e análise  posterior do material recolhido, além da localização dos veios minerais e desenvolvimento adequado e proveitoso dos trabalhos de extração mineral, fazem parte do dia-a-dia das empresas mineradoras, sempre em busca de formas mais aprimoradas para cumprimento de seus objetivos industriais e comerciais.

Porém, desde Leonardo da Vinci (1452-1519) a humanidade se ressentia da ausência de recursos técnicos capazes de movimentar as máquinas projetadas pela imaginação do gênio, pois sem eles nenhuma das idéias do inventor conseguia libertar-se da força hidráulica, dos moinhos de vento, ou tração humana e animal, para serem colocadas em funcionamento. Por volta de 1700, o inglês Thomas Newcomen desenvolveu um aparelho que utilizava o vapor d’água produzido numa caldeira aquecida com carvão, para fazer girar uma bomba. A máquina tinha um movimento alternativo simples, e constituiu, durante meio século, o meio mais efucaz para bombear água das profundas minas de carvão inglesas.

Nesse meio tempo (1757) o escocês James Watt (1736-1819) foi admitido na Universidade de Glasgow como fabricante de instrumentos de medida, o que tornou possível seu primeiro encontro com o motor a vapor. Ao receber a tarefa de consertar um modelo do motor de Newcomen, que nada mais era senão uma segunda alternativa para a força dos cavalo, Watt (ilustração abaixo) se valeu do seu espírito analítico e da experiência adquirida no tempo em que se divertia desmontando bússolas e sextantes, para identificar os pontos fracos da máquina. E descobriu que para melhorar seu funcionamento, era necessário elevar a temperatura do vapor, resfriando-o depois bruscamente durante a expansão. Acrescentou, então, o condensador de vapor e outros artifícios destinados a melhorar o rendimento do engenho.

CAVALO DE FORCA 2Na segunda metade do século 18 as empresas que extraíam carvão mineral na Inglaterra usavam rotineiramente cavalos ligados a um sistema de cordas e roldanas para retirar do interior das cavernas as centenas de baldes cheios do produto que seus empregados arrancavam do subsolo.

Foi quando o inventor escocês James Watt se interessou em resolver o problema, e para isso desenvolveu um tipo de motor a vapor capaz de realizar o mesmo serviço de forma mais rápida e eficiente, orientando os experimentos que fazia no conhecimento de que um cavalo precisava de um minuto para fazer subir cem quilos de carvão a uma determinada altura. Então ele elevou essa carga em 50% e padronizou a unidade de “um cavalo de potência” como a força necessária para elevar 150 quilos a trinta metros de altura, em um minuto.

A moda pegou, e com isso o padrão medidor de potência conhecido como HP (de Horse-Power, ou “potência de cavalo”, em inglês), vem sendo usado até hoje.